Liberdade é amar como se o mundo hoje terminasse sem que sua própria vida fosse importante

Boa noite

Cansei de tentar me convencer
parece que a vida têm sido isso
insistir por não crer nas coisas
se por um lado tenho fé
por outro nunca a conheci.
Faço tantas vezes para me ver
mas no fazer encontro a verdade
não pelo meu esforço.

Todo santo dia é santo
cada vez mais chão sagrado
a vida e tudo que nela há.
Me canso de brigas, mas me revolto
revolto-me contra a maldade
tantas vezes em mim mesmo.

Eu, que sou orgulhoso
indiferente, egoísta, contraditório...
Eu sou a contradição!
Um problema a ser resolvido!

e quem senão Deus para me equacionar?
quem senão o homem para me dar a mão?

Não escrevo mais muito
sou um poema ambulante
nos altos e baixos
me cobro produção artística
me sinto em paz na guerra.
Viro e me reviro
quero mudar o mundo!
porque não consigo mudar eu (a mim) mesmo.

Sou covarde
não faço o que planejo
discurso para o espelho
brigo com meus inimigos imaginários.
Sou uma derrota ambulante
mas mesmo assim eu venci
sem ser forte, ou grande
eu sou um vencedor!
Mas sou o menor deles
e nenhuma glória me é dada
tampouco a quero.

Eu só quero paz!
Só quero o céu azul
um dia as nuvens vão passar
gosto do seu cinza
mas o seu tempo passa
estarei pronto?
Para deixar tudo?
Devo morrer portanto
estou morto, não existo!
Mas o sopro está em mim
como um grande rio.
Sou um grande rio!
não existo, mas quem pode me ignorar?
vou-me embora, não decido
Adeus e boa noite.

--

Faz tempo que não publico, estou atrasado... Bom, segue essa crua reflexão meio desvairada e apimentada de convicção.

Ponderações

O amor é o fundamento
nós sabemos desde sempre
Amor é vida
Deus é amor e é vida
Ir contra o amor é ir contra Deus
Ir contra Deus é pecado
Amar é viver
Respirar Deus é viver
Amar é respirar Deus
Homem é limite
é pó
Homem pode ter vida
pó pode ter vida
Homem de pó vive pelo amor
Amor não gera contradição
A existência é amor
amor faz existir
amor é voluntário
Consciência é saber do amor
Consciência é conhecer a natureza
a existência
consciência é negar amor
negar amor é morrer
negar amor é deixar de existir
é não existir
negar amor não destroi amor
amor é existência
amor existe no não-amor
o amor é Deus
Deus ama o não-amor
amar é o objetivo
existir é o objetivo
Deus é vida, amor, objetivo
Negar Deus é pecar
pecar é negar o amor
pecar é morrer

Aos puristas da lógica racionalista: Não, não são proposições lógicas.

Doçuras (e travessuras), ou Os Açúcares Líquidos ou Tátudoerradoissoaí

O doce a gente sente na ponta da língua, é prazer imediato. É até antecipado, às vezes. Chocolate suave, nubla e entorpece, e depois se vai. Rápido como vem, depressa se esvai. Energia num momento, no outro tristeza e ansiedade. É preciso mais.

O amargo vai na garganta. E fica. Produz umas caretas às vezes. Em alguns casos, até dá prazer se é algo especial. Mas o amargo mesmo, só fica na garganta. Desprezado no paladar popular, terror das crianças, marca do desagradável.

Odisséia

Domínio, força
poder
não é estado
ou felicidade social
que buscam em luta
É desespero
por controle que a muito perderam

Não se pode dominar-se em seu mundo
mudar a si é mais difícil.

Inconforme

Chega
chega, chega!
Não me diga
não esclareça
Já se tem verdades que transbordam o copo

de casa nova

Depois de muita correria e apreensão, estou de casa nova, nova fase de vida. Muita coisa mudou de sopetão, formatura, emprego novo... Assim a gente inevitavelmente acaba sendo levado pela enxurrada. Melhor esperar ela passar do que gastar todas as energias em vão lutando contra. Quase tudo está definido agora, não resta mais muito trabalho. Pretendo portanto retomar minha atividade escrita, à que se propõe esse espaço - que já fez 4 anos!, assim aos poucos mesmo.

Pensamentos ruminados.

Escrito em 13/04:

Talvez eu tenha me tornado muito consciente. Talvez nem tanto. Não acho que ignorância é tanto uma bênção, mas que ajuda a viver mais tranquilo, isso com certeza é. Será que viver no mundo de hoje é saber ser forte pra fingir que não estamos de cabeça pra baixo, que é só nosso cabelo que anda meio rebelde, em pé? Não devo ser o único que acorda todo dia me perguntando: "Não é possível que eu tenho que acordar e mais uma vez me submeter a essa lógica sem sentido."? O pior não é isso, o pior é não ter perspectiva de reagir. Eu até penso em plano mirabolantes, idéias fantásticas. Mas estou cético de mim, nem eu dou crédito pra mim mesmo, me chamo de escapista e volto à mediocridade. É forte demais admitir isso, não é? Mas é mais forte aquilo que me segura até mesmo de publicar isso aqui, porque me comprometo demais. É mais forte aquilo que me impede de tomar uma atitude, uma mudança de rumo perante um confronto com verdades importantes.

Serenata

Chuvas lamuriosas
dores do dia
cansaço, cabeça

Céu de muitos cinzas
água fresca
sapato molhado

Seus olhos verdes

seus verdes olhos
onde se vê um céu
de muitos cinzas

seus olhos
de dores e cansaço
mas lhe arranco o sorriso

E não está tudo bem?
está, meu bem, está!

De volta à Ciudad

Tenho tido estado ausente um pouco da escrita, principalmente neste espaço. São tantos novos pensamentos, idéias que me desafiam à deixar tudo para trás, à colocar pontos finais, à apagar tudo e recomeçar. São tantas descontruções seguidas de lentas, mas firmes e singelas resconstruções. Temo que o processo nunca termine, portanto não vou esperar que termine para traduzir um pouco dele em palavras.

Experimento

A síntese é.

Divulgar conteúdo