Natal

A pergunta do Natal

Uma luz brilhou
desceu à Terra
rachou-a
partiu tudo ao meio

Ódio, temor
meu poder desafiado
meu desejo negado
Meu deus é meu?

Amor, humilde...
Reino de serviço e sofrimento
pecado, arrependimento, perdão
reconciliação

O sentido disso tudo?
Um confronto, uma decisão
seguir a estrela ou matá-la
dentro de si
Amar a manjedoura
ou pregar os pregos.

Não há festa sem caminho
senão a ceia se torna descaminho
Um coral, com belas palavras
esconde por pouco tempo
um coração duro

O sentido do Natal?
Um fato
e uma pergunta
que exige resposta

--
Escrito no próximo ao natal de 2011

Advento

Em tempos de excesso, de compras, de chuvas, de festas, de calor, parece que sentimos este desconforto, o sentimento de que muito menos seria necessário. Porém, temos medo, não temos a coragem de João para nos despojarmos, não saberíamos celebrar com pouco, teríamos dificuldade em reconhecer que nossas expectativas são exageradas, que muitos dos nossos sonhos são feios e vorazes. Assim, podemos nos preparar para o Natal, reconhecendo nosso desconforto e preparando um caminho singelo, singular. Advento.

Sebastião Molina Sanches

Divulgar conteúdo