Prosa

"O Jovem e A Missão"

Treinamento Aliança Bíblica Universitária de Campinas

Como fazemos todo semestre, estamos organizando um Treinamento para estudantes com ênfase na missão estudantil. Teremos tempos de confraternização, palestras, oficinas de vários temas. É um momento especial para quem quer se envolver mais e participar desse movimento. O tema dessa vez é justamente a missão que temos nós, como jovens estudantes, e como podemos entender melhor a vontade de Deus em nossa vida acadêmica.

Loucura » Fé » Sabedoria?

Voltando ao mundo, comecei à colocar no papel alguns pensamentos que me tem sobrevoado a cabeça. Eles vêm e vão, e as vezes não voltam. Mas consegui capturar alguns, e outros eu espero que voltem um dia, mais maduros.

Impressões de uma segunda-feira filosófica.

Estive lendo e ouvindo pela manhã. Ouvi um Bono Vox, falando de fé, li textos de amigos, admirei a complexidade humana de labirintos, e me surpreendi com um Cristo se revelando fora da igreja que conheço. E se revelando muito mais Cristo, muito mais amor, muito mais compreensão, muito mais humanidade, um verdadeiro Camarada.

Ex-morto = vivo ?

"A ressurreição de Jesus deve ser experimentada como algo maior do que um evento histórico passado. Caso contrário, é despojada de seu impacto presente."
(...)
"Em outras palavras, a ressurreição tem de ser sentida como presença do ressurreto.(...)"
"Nossa esperança está indissociavelmente relacionada com a consciente atenção a respeito da presença do ressurreto.(...)"

Será que vivemos na rocha?

"Olhe para sua vida e veja como você tem preenchido seu vazio com pessoas. Como consequência, elas lhe deram uma 'chave-de-braço'. Veja como elas controlam seu comportamento com aprovação ou desaprovação. Detêm o poder de aliviar sua solidão com companhia, de enviar seu espírito para as alturas com elogios e de trazê-lo às profundezas com crítica e rejeição. Olhe para si mesmo, gastando quase todos seus momentos apaziguando e agradando pessoas, estejam elas vivas ou mortas.

As peças que vão se encaixando

Tenho refletido à muito tempo sobre a minha vida. Tudo bem, algo bastante genérico, todo mundo faz isso, não faz? Claro, é crucial. Mas o que se costuma fazer é refletir sobre a vida pessoal, refletir sobre a vida profissional, refletir sobre a vida espiritual. Isso faço desde que me entendo por gente (apesar de nem sempre serem reflexões profundas). A reflexão à que me refiro parte do princípio que minha vida é uma coisa só. Superando as divisões que se fazem desde o mundo grego, superando as divisões da vida moderna, entre outras. Mas quando procuro vizualizar minha vida como esse todo (à saber, as parte por si só reconciliadas com Cristo), enxergo um quebra-cabeça, um vaso quebrado. Reconstruí-lo, montá-lo, parece tarefa humanamente impossível. E na verdade é! Assim, boa parte das minhas meditações de tempos para cá foram no sentido de tentar encaixar as peças no seus devidos lugares.

Na semana passada, estive no Curso de Férias da ABU, região SP/MS. É um encontro principalmente para estudantes (na maioria universitários) envolvidos ou desejosos de se envolver na missão que Cristo nos deu ao nos colocar dentro da Universidade. É um meio bastante plural, repleto de sentimentos, pensamentos e visões diferentes. Mas com um objetivo único, claro, e que é capaz de unir todas as visões e idéias em um propósito maravilhoso. E por que não diríamos que pode unir as partes de um ser humano? O tema do encontro foi "Missão e Vocação: Eis a questão". Já sabemos que, como estudantes, somos chamados à proclamar o evangelho aos outros estudantes. Mas e como profissionais? Vamos simplesmente trabalhar para sobreviver e sustentar a obra? Vamos gastar 60% do nosso tempo produtivo da vida apenas angariando recursos? Faço uso da passagem citada na reflexão de Marco Antônio, que nos falou um pouco à respeito disso no encontro: "Trabalhai não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, o selou.” (jo 6.27). Ao que tudo indica, Jesus tinha um propósito muito maior nessa área de nossa vida. Tinha não, tem! Não se engane, ele não está falando de trabalhar pela igreja ou da simples administração do tempo que gastamos com ministério. É bem claro que ele fala da nossa profissão, do que fazemos para ganhar nossos sutento. Cristo propõe uma nova maneira de viver, ao longo de todo evangelho, e isso inclui a profissão do novo homem. Deus nos criou não apenas para desfrutar de uma criação pronta, mas para ter parte num contínuo processo criativo. Para isso, nos deu habilidades das mais diversas, e infinitas possibilidades de criar e inventar. E não um criar necessariamente utilitarista. Deus criou o mundo e viu que era bom. Nós podemos criar um equipamento, um texto, ajudar alguém, defender um ponto, etc... e ver que é bom! É maravilhoso notar como Deus deseja compartilhar conosco seu prazer em criar! Nosso trabalho, por isso, é essencialmente ligado à nossa relação com Ele. Fazemos, criamos, executamos, por que isso é divino, é o que Ele nos permite fazer. Nosso mandato cultural, dado à Adão, se desdobra no exercício de nossas habilidades hoje. Citando novamente a reflexão de Marco Antônio:

"
O que é que permanece para a vida eterna e nunca morre e pelo qual eu devo trabalhar? É simples. A relação com Deus. Eu trabalho antes de tudo por causa desta relação. Isto significa dizer que eu trabalho para experimentar a Deus em meu ambiente de trabalho. Eu experimento Deus fazendo com afeto o que é bom. Faço assim, porque naquele exato momento estou experimentando sua bondade. Faço o que gera vida. O que aperfeiçoa. O que evolui para melhor. Eu experimento Sua grandeza e beleza e assim minhas mãos ou pensamentos se ajuntam para aperfeiçoar, amadurecer, vender mais e melhor, prestar excelentes serviços aos destinatários de meus produtos. Trabalhamos para a vida eterna, quando nossa ambiência profissional se faz em um lugar de contemplação de Deus, de adoração. Experimentamos ali seu poder de gerar em nós paciência, amor e serviço. É um espaço de excelência, de relacionamentos, afetos, amizades, evangelização etc. Neste sentido nos alimentamos da comida que não perece, que nos amadurece, e, sobretudo nos faz imensamente feliz. O que sempre permanecerá para a vida eterna é nosso relacionamento com a Trindade e com os irmãos. É por isto que vale a pena viver e morrer por isto."

Com toda essa reflexão, boa parte acontecendo no Curso de Férias, mas uma peça do quebra-cabeça se junta ao todo. Ainda digerindo todo o conteúdo, outras peças tomarão seu lugar. Assim, assumimos de fato nossa identidade como seres humanos, aqueles que tinham sido originalmente criados, mas que foram quebrados e destituídos ao pecar. Com Cristo finalmente encarnado, mostrando à nós como Deus é e como o homem deve ser, ganhamos esse novo alvo de integridade, de missão. A Boa Nova, uma vida totalmente transformada, agora disponível à todos os homens! Essa é a notícia à ser proclamada, a ressureição do homem! A revolução do Nazareno!

Que possamos daqui em diante parar de fugir dos cacos que vemos desmontados de nossa vida. Parar de varrê-los para baixo do tapete. Que nossos momentos de contemplação e adoração não sejam momentos em que nos dissociamos de nossa vida para nos achegarmos à Deus, mas que aprendamos à aceitar que Deus entre na nossa história e à transforme. Isso significa permitir que ele mude nossa visão à respeito da nossa profissão, do nossos relacionamentos, das nossas atividades. Deus quer que vivamos com ele à todo momento, seja o que for que se faça. Isso tem mudado a minha vida, a medida que compreendo Cristo em partes um tanto inéditas da minha vida. Lembro-me que orei para que Ele viesse à fazer parte de TODA a minha história no início do CF, e me comprometi à não fugir mais, à não dissociar meus momentos de silêncio com Ele em escapes da minha vida. Agora é possível entender o que é ser um com Ele, e o que nos aguarda ao nos tornarmos iguais à Cristo na Eternidade.

Reflitam e orem. Orem muito, não aquela oração ritual, mas aquela conversa sincera com Deus, sem medo, sem protocolos.

Um grande abraço e, eu espero, um bom resto de nova vida à todos!

Curso de Férias nas Férias do Curso.

52% Engenheiro de Computação
87% Resolvido
100% Feliz

Curso de Férias, mudando o curso da vida (malditos trocadilhos)

Desde a formação de uma grande família até as práticas instruções de uma vida intensa, é difícil expressar com todas as letras o que foi essa semana da vida.

Ainda estou digerindo...

Segue o poema que abriu a serenata histórica, à luz de tochas:

Vento sul
Que traz as novas do oceano
Uiva e sussura com voz de azul
Das saudades de quem amo
Vem despertar, com suaves gritos
As estrelas floridas azuis-brancas

Tortas de Morango - E a vida eletrônica.

Mandamos e recebemos e-mails. Mas não olhamos nos olhos. Não dançamos, não corremos, não paramos para sentir o vento.

Vou sair por aí. Não me esperem. Desliguem tudo e saiam também. Quem sabe não nos encontramos por aí...

Antes, porém, leiam um e-mail em especial, e se deliciem com uma torta de morango. Vejo-os nas luas da vida...

Abraços!

Aventuras del vale

Para abril não passar em branco:

Tenho dado desculpas a mim mesmo. Tenho tido pena de mim mesmo. Creio que não tenho sido sincero. Mas sou fraco. Sua mão, incrivelmente, apesar de não ser novidade, tem me sustentado. Às vezes me sinto como se tivesse muito o que fazer e não tivesse como. O amanhã me persegue irremediavelmente. E quando percebo isso, me lembro da verdade que me norteia (mas nem sempre), e procuro voltar-me ao hoje, nesse santo Carpe Diem, paradoxal, porque o senso de urgência faz parte da vida integral no presente. Mas ele não domina. O Tempo não é senhor. Já o senhor do tempo e da história, esse sim.

Àqueles com os quais minha comunicação é fisicamente prejudicada (novamente as desculpas...), é bom explicar um pouco do que acontece à este andarilho:

Já morri e ressucitei algumas vezes. o.O... A morte nunca é agradável, mas é necessária, como já dizia o sábio de Eclesiastes: "Há tempo de morrer (...)". No último desses casais morte-ressureição da vida cristã, à saber, no IPL 2007 (Instituto de Preparação de Líderes), diversas coisas novas se tornaram parte deste novo ser. Uma nova jornada começou. Lembro-me de ter ouvido alguém dizer que momentos de nascimento, de "descanso no monte", precedem vales tenebrosos. Jamais experimentei, em meus "eus passados", esse princípio com tanta intensidade. Contudo, tive um mês de fevereiro para descer lentamente do monte (um mês bastante produtivo, por sinal...), e que foi tão importante quanto o renascimento. Foi um momento de amadurecer este novo ser.

Após a descida, as águas de março fecharam o verão com suas tempestades (desculpem o drama, mas a poesia é irresistível). Na vida acadêmica, teve início meu 5o semestre, que logo descobri ser o mais estressante do curso até o momento. Somado à isso, o senso de urgência de fazer jus à iniciação científica que havia conseguido (e as constantes impressões de não ser bom o suficiente). Ainda falando da rotina, cotinuei (e ainda continuo) vindo de Jundiaí à Campinas todos os dias, totalizando, em média, 1h40 de ônibus por dia. Como nunca se está suficientemente fundo no vale, a coordenação da ABU se tornou uma tarefa angustiante (entendam.... Para mim!). Tinha a impressão de que ninguém tinha tempo ou vontade de ajudar. Estávamos (e ainda estamos) sem um tesoureiro, e adiamos todos os eventos marcados, por uma falta de organização. Contudo, Deus tem feito a sua obra na faculdade, e pessoas novas estão se aproximando do grupo, querendo auxiliar.

Bom, em meio à tudo isso, hoje reconheço a sabedoria de Deus, como ele disse à Daniel, quando falava dos últimos tempos: "Alguns sábios tropeçarão para que sejam refinados, purificados e alvejados" (11:35). Sabedoria que persiste até hoje, como se pode aprender ao assistir Pequena Miss Sunshine: "Os períodos da vida em que mais sofremos, são aqueles nos quais mais aprendemos e crescemos. São os que mais tem graça". Ah, a graça, que se transforma e renova, graciosamente, indomável, ininteligível.

Sou o que sou
Ainda que não saiba

Afinal, do ontem pouco restou
E o amanhã ainda não deu as caras

Serei o que não sou
Essa é minha esperança
Fortalecida pela promessa
Pois ainda hoje
Já sou o que não era

Ainda que se estenda o vale
Vale mais a pena continuar
Para que, custe o que custar, ter o que contar
Não ter pena de morrer
Não custa nada ressucitar
É de graça, é da Graça, tem mais graça.


Um grande abraço à todos!!

Tum tum, Tum tum...

Pois é... Muita coisa acontecendo... Não há muito tempo... Problemas... Mas no fim, tudo acaba bem, se não estiver bem, é porque ainda não acabou... Nada como ser surpreendido pela Graça vez após vez sem compreender quase nada...

Diário de 17/03/2007 - Sábado das incertezas

"Mas eu não sei
Na verdade quem eu sou..."

Podemos facilmente nos desviar e passar a agir em função de nós mesmos... Nem percebemos, e o foco passa para a nossa satisfação. "Buscai em primeiro lugar as coisas do Reino, e todas as outras vos serão acrescentadas." Palavras sábias do Grande Mestre. Só ele conhece de verdade o nosso enganoso coração. Porque me percebi buscando satisfação em muitas coisas, menos em Jesus. Mas aí, me perguntei: "Como buscar a satisfação em Cristo?"
Agora posso arriscar uma resposta. Acho que essa satisfação não deve ser buscada. Porque buscá-la significa procurar o meu interesse, e bem sabemos o que esse intuito egoísta significa. Então agora entendo que Deus me falou na quinta-feira. Quando refletia e me questionava, Ele me mostrou o quanto existem pessoas procurando ajuda, precisando de atenção, de amor... E agora me remeto à recomendação do Grande. Satisfazer nosso coração é tarefa que só Ele sabe fazer, então o melhor é deixar em Suas mãos. Buscar o Reino, que é levar amor, ter sede de justiça, pregar o evangelho, a unidade, viver cada dia como se fosse o último, amando, se entregando, e buscando os interesses do outro. Esse é o foco. Ser amigo dos que não têm amigos. Me ajuda nisso, Senhor, porque o resto eu já sei que o Senhor está trabalhando.

Essa poesia talvez seja uma das melhores que já fiz (tem um quê de Drummond):

"O coração
é sedento
é bonito
é feio
O coração
bate
rebate
recolhe
O coração
tem olhos
mas não vêem
têm catarata
O coração
não entende
não aceita
não ama
O coração
entende
aceita
até ama
O coração
erra pelo deserto
erra o caminho
erra
O coração
mente
fala a verdade
fala bobagem
O coração
procura remédio
pra ansiedade
de comprar remédio
O coração
é indomável
é incansável
é desanimado
O coração
é amigo
não tem amigos
é inimigo
O coração
é covarde
é indiferente
é confuso
O coração
meu caro irmão
é incompreensível
é irremediável
O coração
tem um segredo
que só quem fez sabe
e pode consertar

E deixo de lado
O "eu" antes desviado
Sugiro-me idéias
Grandes odisséias
Sai pra lá, espelho!
Não meta o bedelho
entre mim e o Céu

O coração
mudou de dono
será melhor tratado
e quem sabe matará sua sede
A minha canção
agora é o amor
não aquele do coração
que de amor nada tem
mas aquele que é como vento
Ninguém sabe de onde vem
Ninguém sabe pra onde vai
Já não preciso de mais nada.



Abraços calorosos à todos, com muito amor!!

Divulgar conteúdo