Liberdade é amar como se o mundo hoje terminasse sem que sua própria vida fosse importante

Victor Jara e a Ciudad del Pico

"Somos cinco mil aquí.

En esta pequeña parte de la ciudad.

Somos cinco mil.

 

¿Cuántos somos en total

en las ciudades y en todo el país?


Somos aquí diez mil manos

que siembran y hacen andar las fábricas.


¡Cuánta humanidad

con hambre, frío, pánico, dolor,

presión moral, terror y locura!

 

Seis de los nuestros se perdieron

en el espacio de las estrellas.

Un muerto, un golpeado como jamás creí

se podría golpear a un ser humano.

Curso de Férias nas Férias do Curso.

52% Engenheiro de Computação
87% Resolvido
100% Feliz

Curso de Férias, mudando o curso da vida (malditos trocadilhos)

Desde a formação de uma grande família até as práticas instruções de uma vida intensa, é difícil expressar com todas as letras o que foi essa semana da vida.

Ainda estou digerindo...

Segue o poema que abriu a serenata histórica, à luz de tochas:

Vento sul
Que traz as novas do oceano
Uiva e sussura com voz de azul
Das saudades de quem amo
Vem despertar, com suaves gritos
As estrelas floridas azuis-brancas

Tortas de Morango - E a vida eletrônica.

Mandamos e recebemos e-mails. Mas não olhamos nos olhos. Não dançamos, não corremos, não paramos para sentir o vento.

Vou sair por aí. Não me esperem. Desliguem tudo e saiam também. Quem sabe não nos encontramos por aí...

Antes, porém, leiam um e-mail em especial, e se deliciem com uma torta de morango. Vejo-os nas luas da vida...

Abraços!

As 7 cartas

Me acerto
Me almejo
Me descubro
Me temo
Temo mais
À quem me mostrou
Descobri o impostor
Agora é só voltar
Ao primeiro amor
Àquele que tem ouvidos,
ouça...

O que há para ser descoberto
O será em segredo
Pulará por sobre as letras
Arrancando suspiros
Dos humildes de coração

Cartas de sangue
E sofrimento
Mas o pobre rico que sofre
Morrerá e tornará à viver
À exemplo do primeiro
Ao encontro do último
Sua prisão será sua liberdade,
Sua coroa
Ó linda Éfeso, amada Esmirna
Àquele que tem ouvidos,
ouças...

Poesia no espeto

Poeta Grill
A sua melhor opção!
Poesia, produto
Capitalismo porco
Porco no rolete
Bacon!

E by Campos:
"Asneira? Impossível? Sei lá!
Tenho mais sensações do que tinha quando me sentia eu."

PS.: ria ou chore, fique à vontade...

Espera a dança...

Me lembro de épicos, com suas cenas de batalha, quando o herói chega num nível crítico de exaustão e desânimo, ferido, angustiado. Classicamente, algo surge que lhe coloca um brilho nos olhos, um fogo. De repente, ele ganha uma nova energia, o que é decisivo ao combate. Por diversas razões, me sinto exatamente nesse ponto. Digo que, durante esse fim-de-semana, vivi o hiato do fim-de-batalha, vislumbrando a derrota iminente, e agora, após trazer à memória o que me norteia, o que me faz sentir-me vivo, ganho um novo ânimo. A força me retorna aos membros. A visão desembaça, a mente fica limpa. Não há mais dor ou angústia. O momento de lamentar os mortos passou, e o momento de construir ainda não veio. Ao hoje, só resta a batalha, e da luta não me retiro.

Conversamos hoje de manhã
Bebemos café, água, chá
Comemos pão, torta, palavra
Vivemos vida, família
Resolvemos, Revolvemos
Dissecamos o coração
Curou
Sarou

Conversamos hoje de tarde
Falamos de si, de ti, do outro
Fizemos perguntas
Demos respostas
Tiramos dúvida
Trouxemos à luz
Trouxe a luz
O tempo não é mais aterrorizante
O tempo já não é mais...
É menos
Espero que esperemos
A esperança alimenta a alma
A paciência rega o amor
E sigamos na luta
A batalha do Sol que raiou à pouco
E se recusa à deixar de morrer
E se recusa à deixar de nascer!

Não necessita de título, escrito ontem...

Hoje, vi uma flor
Tinha crescido no jardim
Eu a plantei
Mas não sozinho
É pequena
Mas é bela
Cresce, brilha
Brilha nos olhos
Olhos errantes
Se desviam para longe
Focam nas borboletas
Que voam livres
E vêm embrulhar
O estômago
Que nadam soltas
E vêm nos tirar
O fôlego
São belas, assim como a flor
Ridiculamente bonitas...

O Silêncio Grita

"Senhor querido,
Não tenho nada de tão importante à dizer,
a não ser um "obrigado".
Obrigado por preencher o meu ser,
e me transformar em um humano completo.
Não há o que ansiar,
pois a sua paz acaba com o anseio.
Ter esperança no Senhor
é o que me sustenta hoje,
e com o amanhã
não quer me preocupar.
Mas com minha alma,
hoje,
sim,
eu quero.
Quero ouvir seus lamentos e ruídos,
e trazê-los à você
juntando os cacos...
com miseriórdia..."

Não é um poema... é uma oração... Acompanhada de um sentimento:



"I Feel Loved" -Blue man Group

Se tiverem tempo, dêem uma lida no Salmo 131...

abraços!

B & W matters

International aid workers say
that the Darfur conflict
has turned a corner
from the neat-and-easy lines of government-backed Arab militiamen
versus black rebels,
and Sudan's ethnic...

"cleansing policies"

that the US government has called...




"genocide."


Today,
the lines between
friend and foe
have blurred considerably,
making the efforts
to resolve the conflict,
and to

help

noncombatants
all
the
more
difficult.

De uma notícia parada
Numa segunda-feira sonolenta
O sol que hoje nasceu sobre a nossa paz
Foi o mesmo que viu uma terra sangrenta
Um domingo inexistente
Uma missa do inferno da alma humana.

Ainda tenho sono...
Trecho em inglês
tirado daqui...
Lido por aí...

Terra à vista!


Toda vez que sinto
Que não há lugar no mundo
Para meu solitário coração
Tenho a impressão de ser mais um
Que gostaria de viver em outras terras
Outros tempos, outros mundos

Ainda assim, por detrás da gaiola
Alguém pede apreciação
Por favor, suplica ansioso
Capaz de metamorfose sombria
À agradar olhos de pouco valor

E, de repente...
Nada
tem
sentido...

Sentamos no chão
Cada qual apoiado em sua parede
Na cela da alma
Seus olhos vazios
Vazios de esperança, de sentido
Vazios de vida
É só uma casca vazia
Nem falar pode por si mesmo
Sua respiração é morte
É desespero
É angústia

Sem sentido
Que coisas tenho eu sentido
Que tenho, sim, sentido
Que tenho esperança
Tenho ouvido
Sussurros da terra
Pulso fluido de vida
Aroma suave do campo
Sinfonia, harmonia, segue o dia
Uma voz, calma monotonia
Eco da eternidade
Desfaz minha companhia sem valor
Brilha Sol forte
Brilha na escuridão
Brilha em mim às vezes
E se o amanhã não brilhar
Correrei e buscarei
Onde esconderam as velas
As velas acesas do cruzador
Dos mares sem fim
Navegar...
Navegar...
Navegar...
Fitar um horizonte sem fim
E esperar, paciente
O Novo Mundo emergir do fundo dos olhos
Lá tem lugar
Para os corações errantes
Lá é destino, é fim, é começo
é fim de solidão
é começo de tudo.


(Imagem por ~uvar)
Divulgar conteúdo