Liberdade é amar como se o mundo hoje terminasse sem que sua própria vida fosse importante

Graça - A Última Ciência

nasce o dia
e quando o dia nasce
revela outro segredo que é bom de reconhecer

e é beleza
pensamento
a última ciência que podemos ter

é da vida
firmamento
e a cada momento está a segurar
força breve
e Vale tanto
vale quanto a vida nos pode durar

indiferente
ampara toda a gente
e é a força do mundo que ainda vai recomeçar

e respira
no instante
em que as outras graças vêm ajudar

é da vida
firmamento
e a cada momento está a segurar
força breve
e vale tanto

Desparadoxo Transcendental

Castelo
Sólido, sereno-imortal, alto da cor do Céu
Tudo na guerra, paz em salão
Flechas
Tormento, veneno-mortal
Dor lancinante, da qual me tira sua mão
Por favor...

Dor inescapável da qual escapamos...

Ele marcha,
Ao seu lado flores murcham de preto sinuoso
E a morte é seu escudeiro, odor de enxofre
Nos olha vermelho,
Pupila de poço infernal
Eterna ruína negra
destruição...

Ruína iminente que nunca alcança...

Eu, deixo o pronome
Desprendido
Largado no vácuo da inexistência
Sou um nada, uma poeira cósmica
Desapareço
Perdido
Mas um homem vem
Corta colinas e move mares
Olhos brilham de cheia luz branca
Profundo como um mar
Repleto de pérolas suaves, leitosas
Suas mãos são o carinho do vento.

O homem não é nada, um homem é tudo...

O próprio sangue de Deus
Farol ofuscante... com fome de corações
Ame-o ou odeie-o
Ignorar o deus-homem é fuga sem-saída
Antes do primeiro Sol
Mesmo após o vermelho do último
Ele é
E não há...
O leão-criador, a ovelha,
O rei-amoroso,
Profeta-misterioso
Vários são os nomes,

É só um, e é vários...

E correm como o vento
São bestas terríveis, ardilosas
Serpentes de puro veneno, ferrões de destruição
Fogo e enxofre, em milhares de maldade-encarnada
Mas medo não infligem
Não mais...
Não são...
Pois o espectro de fogo
O mal-de-todo
Já foi sentenciado
E calado
Pela palavra, uma única
Que caminha
Vale verde de paz-de-colina
Verbo-homem
Arauto de verdade
As nuvens do tempo
Neblina do destino
Se fecham
E nada mais existe
Só essa essência de cheio
E que vá ao inexistente
Todo meu círculo
Ele está ao meu lado
E a morte não é temor
Venha, lhe ensino o vôo
Quando a tempestade se for
Acorde
Acabou
Venha ver as flores
Tudo passou
Tudo agora é...
O Rei-no, enfim, chegou...

(inspirado pelo hino "Ein Feste Burg ist der Gott" - Marthin Luther - século XVI)

Documento nº 3154

Assunto: Sobre os Evchan e Nevchan

1-) Introdução
Segundo a pesquisa psicomelodramatoarqueológica, segue-se o que já foi documentado à respeito do tema


2-)Indisposições Iniciais
Segundo relatos ouvidos, um tipo aparentemente comum, conhecido como Garry Jones tem aptidões que praticamente transcendem o que se considera humano. Suas aparições, entretanto, são raras e sempre diferentes. Após longos anos de busca, finalmente conseguiu-se localizar o indivíduo, objeto deste estudo, em Nova York. Ele se auto-denomina um "ever-changing" (doravante denominado Evchan), e por isso é sua característica mudar (exterior e interiormente) com frequência e dramaticidade. No momento da sua localização, ele estava num processo que ocorre à cada 10 anos. Neste, ele se encontra com um semelhante, que ele denomina um "never-changing" (doravante denominado Nevchan). Segundo ele, os dois coexistem complementarmente, e o último tem como característica sua estabilidade, opondo-se ao primeiro.

3-)Material
De maneira à apresentar o material bruto, segue-se um extrato aproximado desse diálogo entre o Evchan e o Nevchan:

Evchan: Faz tempo...
Nevchan: É verdade, você mudou...
E: Você sempre diz isso!
N: É a minha natureza...
E: Sim, eu sempre mudo, mas você sabe que existe algo na minha essência que também nunca muda.
N: Sim, é verdade, nesses encontros isso fica mais evidente.
E: Durante esse tempo, em alguns dos 'estágios' na qual eu refletia sobre as coisas (não eram todos), pensei muito sobre quem somos, nossa origem, nossa natureza.
N: Você não fazia isso.
E: É, claro, essa é uma vantagem, eu sempre mudo. Sempre conheço pessoas novas e...
N: As ama pelo tempo que durar sua fase, apenas...
E: Você sempre acha que sabe como me sinto... Em parte isso é verdade, mas EU conheço o mundo...
N: E não consegue conhecer à si mesmo.
E: Pois é aí, meu amigo imutável, que você se engana. É impossível que eu seja todo relativo, pois se fosse, como explicar a própria imutabilidade da minha natureza de Evchan? Acontece que tenho descoberto que esse não é o único absoluto em minha vida.
N: E quais são os outros?
E: Por quê você sempre ouve o que digo e se importa comigo?
N: Porque se deixasse de amá-lo, estaria contrariando minha própria natureza. As pessoas o amam somente enquanto dura uma fase sua, e depois deixam de amá-lo, pois não conhecem aquilo em você que nunca muda. Eu conheço, e por isso o amo, e isso condiz com minha natureza.
E: Pois meu amor parte exatamente dessa parte sólida dentro de mim, porque seu amor constante e sua estabilidade me tornam seguro, e minha viagens e fases apenas confirmam a profundidade do seu amor pela minha essência imutável, e me fazem respondê-lo
N: É, você não costumava falar isso.
E: Não estrague o momento com essas suas piadinhas de sempre.
N: Desculpe, é inevitável, mas me conte o que de novo trás do mundo.
E: Bom, você sabe, eu sempre me envolvo com humanos por curtos períodos de tempo. Como você disse, ele me amam apenas por uma fase. Já você constrói longas amizades na sua velha casa de sempre.
N: Sim, bons amigos...
E: Mas encontrei alguém diferente. Alguém que ultrapassou fases diferentes.
N: Interessante, e você parece ter encontrado algum sentimento igualmente transcendente.
E: Sim, exatamente. Estou concluindo que ela é alguém como nós...
N: Quer dizer que existem mais pares como nós? Bom, é claro, isso não muda minha situação...
E: Como sempre...
Talvez seja uma Evchan, e por ter a mesma essência imutável dentro de si que me ama e a qual eu amo.
...
Espere, você disse que isso não muda sua situação, mas se isso me afeta, naturalmente...
N: ... irá me afetar também.
Sim, mas continuarei um Nevchan e você um Evchan.
E: Claro, não tinha percebido, mas aquilo que não muda em mim é parte de você e...
N: ... o que muda em mim é parte de você em mim. Sim, existimos para nos complementarmos, nos amarmos...
E: ... e a consequência é que somos um parte do outro, e a existência se confunde...
N: ... porque na verdade somos um...
E: Cada conversa nossa...
N: ... é diferente e singular.
E: Eu sempre gosto delas.
N: Boa sorte com sua nova 'descoberta'
E: Te vejo em outros 10 anos.

4-)Conclusão:
A este ponto, o estudo se tornou desnecessário em face da futilidade da vida humana ridiculamente esquecida de si mesma, e será prosseguido quando o conhecimento atingir níveis desinteressantes da alma incomensurável.

5 de Novembro...

"Remember, remember, the fifth of November, the gunpowder treason and plot.
I know of no reason why the gunpowder treason should ever be forgot."
-V-

Uma pequena espiada...

Bom, eu retomei mesmo o meu maior projeto, então resolvi dar uma pequena amostra. Pra quem não sabe ou nunca viu, trata-se de uma sopa de letrinhas e imagens com estilo. Mais conhecida como HQ.

Sopas de letrinhas

Estou num hiato criativo, desses normais que se tem de vez em quando. Mas na verdade, quando isso acontece, estou pensando, construindo, a arte nunca pára, só sai pra dar uma volta... Acho que vem coisa boa pela frente...

Tentativa...

Procuro em vão
Palavra doce, palavra poesia
Para indescrever sentimento multicolorido
Doce aroma de chuva alegre
Suave ruído de alma e fé
Não, não há
Não há pássaro que cante
Ou sereia que encante
Só isso que há
E há, não importa o mundo cinza
E toda flor e todo azul
Castelo na rocha
Fingindo não haver mundo ao seu redor
Águia majestosa
Se deliciando com o vento e só o vento
Imaginando o formigueiro estático muito longe
Mergulhando no céu infinito de paz
E só, e só
E não há, só há
E há de ser
Sempre será
E não

Capítulo 53 - Cena 15

"Cheiro de chuva", piscou algo em sua mente, alardeada pelo odor úmido e agradável. Desde que não podia mais enxergar, o olfato lhe trazia muitas surpresas. Mas essa era especial. Estava de volta à Ciudad. Foram longos nove anos de exílio. Voltar para seu lar após tanto tempo e tanta luta era algo que lhe causava um redemoinho de sentimentos. Era confuso, sim, e trazia memórias demais. Algumas abstratas, impossíveis de se identificar, talvez fossem memórias de sentimentos, cujas circunstâncias tivessem caído no oceano do esquecimento.

"O Jovem e A Missão"

Treinamento Aliança Bíblica Universitária de Campinas

Como fazemos todo semestre, estamos organizando um Treinamento para estudantes com ênfase na missão estudantil. Teremos tempos de confraternização, palestras, oficinas de vários temas. É um momento especial para quem quer se envolver mais e participar desse movimento. O tema dessa vez é justamente a missão que temos nós, como jovens estudantes, e como podemos entender melhor a vontade de Deus em nossa vida acadêmica.

Loucura » Fé » Sabedoria?

Voltando ao mundo, comecei à colocar no papel alguns pensamentos que me tem sobrevoado a cabeça. Eles vêm e vão, e as vezes não voltam. Mas consegui capturar alguns, e outros eu espero que voltem um dia, mais maduros.

Divulgar conteúdo