Pensamentos ruminados.

Escrito em 13/04:

Talvez eu tenha me tornado muito consciente. Talvez nem tanto. Não acho que ignorância é tanto uma bênção, mas que ajuda a viver mais tranquilo, isso com certeza é. Será que viver no mundo de hoje é saber ser forte pra fingir que não estamos de cabeça pra baixo, que é só nosso cabelo que anda meio rebelde, em pé? Não devo ser o único que acorda todo dia me perguntando: "Não é possível que eu tenho que acordar e mais uma vez me submeter a essa lógica sem sentido."? O pior não é isso, o pior é não ter perspectiva de reagir. Eu até penso em plano mirabolantes, idéias fantásticas. Mas estou cético de mim, nem eu dou crédito pra mim mesmo, me chamo de escapista e volto à mediocridade. É forte demais admitir isso, não é? Mas é mais forte aquilo que me segura até mesmo de publicar isso aqui, porque me comprometo demais. É mais forte aquilo que me impede de tomar uma atitude, uma mudança de rumo perante um confronto com verdades importantes.

Tem que ter algo mais forte, mais importante. Tem que ter algo que realmente traga a liberdade para a realidade prática, para o dia-a-dia. Como se submeter-se sem perder as asas?

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação