Ode à Santa Destruição

Às gentis espumas sou grato
do remanescente da onda
que correndo leve e solta
destruiu meu castelo de areia

Tanto trabalhei no meu castelo...
nele não me preocuparia com nada
nele estaria à salvo, sem medo
Eram sólidas paredes a me isolar
ruíram com a suave onda

No castelo de areia, me sentiria bem
estaria satisfeito e feliz
mas o castelo não existe mais

Seria rei, influenciando muitos homens
e meu castelo seria meu poder
mas poder nenhum restou

Porque a onda insiste
em derrubar meu castelo de areia
Porque o Sol não desiste
de mostrar quem eu sou

Me resta sentar ao mar
e com a onda suave e firme conversar
O oceano tem verdades profundas
entrar nele é para loucos
corajosos mesmo, são poucos
pra virar água-viva transparente

Oie! Que lindo esse poema!

Oie! Que lindo esse poema! Queria eu saber fazer uns assim..ehheme lembra uma música: "Não, não construa sua casa na areia, não não construa na beira do mar, mesmo que pareça chique é impossível que ela fique, a tempestade a vai derrubar"hehe um beijo

nha! lindo que só.Gostei do

nha! lindo que só.Gostei do ritmo. E ele tem a sua cara. Não daria pra dizer que é de outra pessoa. Gosto dessa coisa de colocar e criar uma personalidade através das coisas que produzem.parabens!

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação