O Peso das Cortinas

Toque o piano...
Mova as notas por sobre os ombros
O que me toca me intriga hoje
A emoção é um estranho imprevisível

Posso fugir dela, e o faço
Mas não tardo encontrá-la
Pois abandonar não quero.

Não há nada explicado
É o fim de um ato
É o interlúdio da peça

Fica no ar, ao vento
Todo pólen de sentimento
Porque não sei de onde ou mesmo porque.

Faz-se e desfaz-se em sorriso
Saudade da memória,
Chuva e coração
Triste momento de indecisão

E não vejo nada além do véu
que o tempo me colocou
A escuridão amedronta
Só posso aguardar

Não cultivo
ainda...
é cedo...

-----


So I stand still
In front of the crowd
Excited faces
What will be next?
I still don't have a clue
I still don't have a clue...

Acho q toda tristeza faz bem

Acho q toda tristeza faz bem ao artista... mas sempre fico feliz em ler coisas tuas, mas mantenha-se o interlúdio da peça... faz bem...bjus

Uau... divaguei agora... seu

Uau... divaguei agora... seu poema está extraordinário!!! e vc lembra do que eu lhe indaguei no domingo passado? eu tenho feeling pra mta coisa... mas mais ainda pra coração... e sinto vc triste... saiba que Deus está contigo e nunca te desamparará... e pode contar comigo pro que precisar ok? vc é um artista nato... continue usando esse dom que Deus lhe deu para escrever coisas tão belas quanto esse poema... bjosssssPS: seus desenhos são ultrajantes... parabéns!!!

Abram-se as cortinas!E

Abram-se as cortinas!E faça-se o espetáculo das luzes!Das notas e dos raios ensolarados que nos deram a vida.

nossa que poema tosco, nem

nossa que poema tosco, nem rima

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação