Manifesto Hoje

Não sou mais aquilo
Não estou gostando de só uma coisa
Não defino o que quero
Não enxergo o que me move

Parei de fugir
e comecei de novo
já não consigo me enganar
Sei quem sou
não gostei
e já não sei de novo

Uma tarde de sol e verde
é tão linda quanto as outras
mas não é como era
hoje é diferente
Gosto do pôr-do-sol
mas é como se ele agora fosse vivo
e não é nada
perto do nascer
o primeiro do hoje.

Tenho sono
fico acordado com café
somente amargo
pois no hoje a amargura tem seu papel

Parei de definir
Se uma coisa é, não sei
e também não me importa
se será, menos ainda

Se sou bom em algo,
o hoje me exige a contribuição
pois não sou bom em nada
na verdade, não sou bom

O hoje não tem nada
Não se pode querer ser nada
Hoje não se conhece o amor
é pouco tempo pra se contruir uma vida
Era melhor não ter acordado?
Talvez, mas o fantasma do amanhã
escraviza nossos cansados olhos
carregando a culpa do passado

No hoje, só vou sair
só vou ver o céu e sorrir
azul ou cinzento
tanto faz
se você falar
vou ouvir
e esquecer o porvir

Hoje só se é permitido esperar
e na esperança caminhar sem ver
ver é para cegos
Eu, que estou lúcido
não me meto à besta com isso

É com dor nas costas e no ego
com os espinhos do caminho do amor
um sorriso esboçado em rosto marcado
que o hoje nasce e brinca intenso
entre a aurora e o crepúsculo
morrendo feliz no coração do descanso

Concede-me, por favor,
a graça preciosa de hoje
só hoje
ouvir
e ver
e morrer
e só então,
ser...

Vejo minha vida, exatamente,

Vejo minha vida, exatamente, este momento.Muito boas as novas produções.

a gente só é depois que

a gente só é depois que morre?

Hahaha, quer uma resposta

Hahaha, quer uma resposta séria?de qualquer forma, é o meu manifesto, hoje só sou se me morrer (com o perdão da gramática, fica mais interessante). Antes e depois são conceitos bastante secundários no momento. =)