Introspecção

Quando isso tudo acabar
vou pensar e sentir.
Quando passar esse vendaval
vou abrir a janela
fechar os olhos
e mirar o espelho
dentro de mim.

Eu resisto, sou o remanescente
luto contra mim mesmo
mas às vezes não sei por quê.

O dia se ergue, múltiplo
apresenta-se em tantas trilhas
em cruel ironia
Fico a admirar dias que não são meus
perco o interesse na minha trilha.

É por querer ser quem não sou?
culpas novas e velhas?
é como se me parecesse
que todos os seres me desprezam
embora ostentem sorrisos
e em vão tento fazer
para ser bom
aos olhos
que caem
desanimados.

O deserto se abre
mais uma vez me convida
ao tempo de sentir e pensar
e viver pisando na areia
esta e mais nenhuma
contemplar um horizonte
imutável, grandioso
seguir a nuvem à frente.

É tempo de pisar firme
de morrer
Deixa morrer
tudo aquilo que nunca viveu.

--
Imagem de Jay Axer

=D

=D

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação