Inconforme

Chega
chega, chega!
Não me diga
não esclareça
Já se tem verdades que transbordam o copo
e mentiras
mentiras suaves
outras deslavadas
num terreno áspero
de pedras drásticas
futuro dramático
presente esquecido
passado sintético

Já disse que não sei
de preto e branco
se souber
será o cerne
não tinta vagabunda
de que pintas
homem da certeza
mais me interessa
caminho este certo
do amor desmedido
da morte e de vida
do hoje somente
importa jogar fora
tudo que pesa
e ser leve
voar

Não há alegria que perdure
nem mesmo paz
só na morte
mas no amor
cada dia
se faz novo

Liberdade é amar como se o mundo hoje terminasse
sem que sua própria vida fosse importante
Não há medos em quem ama

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação