Gritos Sussurantes

Não pense
Ecoa pelos cantos do mundo
Em cada esquina, na programação
No dever e no direito
Na fé mal-resolvida
No controle da vida

Eu luto
Não mais pela vida
Ou pelos direitos
Luto pela existência de minha mente
Luto por saber por que ou quem vivemos
Esse é o zênite humano?
Enterrar cada pedaço de real singularidade?
Confundir união com uniformidade?
Em que classe você está?
Em que time você joga?
Vista o uniforme!

Somos sobreviventes
Nós pensamos
Acreditamos em um novo horizonte
Me agarro à rocha
A referência universal
Escapo da tempestade mental,
Procuro a metade final

A ponte que nos separa
É feita de fé
e somente fé
pensada, sentida, resolvida
mastigada, regurgitada, analizada
viva, errante, indomável
louca, libertadora, branca
Fé, misturo ao pão
Tomo com café
Quero ficar acordado
E ver o amanhecer!